terça-feira, 1 de dezembro de 2009


O EFEITO BARNABÉ


- Desculpem o trocadilho. Quis evitar a monotonia dos temas acadêmicos. Poderia dizer: "As estratégias de Barnabé como mentor", ou "A mentoria tipo barnabiana", ou ainda "A relação Barnabé-Paulo como modelo para a aplicação dos princípios de mentoria no atual processo de liderança" e assim por diante.

- O que quero destacar no presente texto é o significado de Barnabé para o Cristianismo primitivo e como o seu modelo pode ajudar a igreja de hoje na formação de líderes e na plantação de novas igrejas.

- Por efeito Barnabé me refiro aos resultados de sua sobre a vida de Paulo e de João Marcos. Com certeza o Cristianismo teria sido outro sem a atuação de Barnabé.

Resumo biográfico de Barnabé

1 - Era um levita, natural de Chipre, filho de pais helenistas e seu nome era José (At 4.36)

2 - Apresentou Paulo aos Apóstolos em Jerusalém, pois era desses bem conhecido e respeitado (At 9.27)

3 - Foi enviado a Antioquia para consolidar o trabalho na jovem igreja de lá (At 11.22-24)
4 - Recrutou Paulo para ajudá-lo em Antioquia - não via Paulo há uns 14 anos (At 11.25)
5 - Junto com Paulo, foi enviado com donativos para os crentes da Judéia (At 11.30)

6 - Voltou a Antioquia levando consigo Paulo e João Marcos (At 12.25)

7 - Servia à Igreja de Antioquia como profeta e mestre, sendo líder dos demais, inclusive de Paulo (At 13.1)

8 - Foi escolhido junto com Paulo para a primeira viagem missionária (At 13.2)
9 - Enfrentou a "deserção" de seu primo João Marcos na Panfília (At 13.13)

10 - A partir de Antioquia da Psídia, Barnabé passa a Paulo a liderança (At 13.42)

11 - Em listra, por causa do milagre de cura de um aleijado, foi confundido com Zeus/Júpiter (At 14.12).

12 - Terminada a Primeira Viagem Missionária, volta a Antioquia acompanhado de Paulo e depois vão a Jerusalém por causa da controvérsia judaizante (At 14.26; 15.1,2)

13 - No debate assumiu a liderança (At 15.12,25)

14 - Retornou a Antioquia e, depois de algum tempo, planejava com Paulo a Segunda Viagem Missionária (At 15.36).

15 - Queria levar João Marcos novamente, mas Paulo não consentiu. Tiveram uma desavença muito grande e separaram as áreas de atuação. Paulo seguiu para Síria e Cilícia, levando Silas consigo e Barnabé e João Marcos foram para Chipre (At 15.37-41).

16 - Depois desse incidente ele não é mais mencionado no Livro de Atos, mas sabe-se que ele continuou trabalhando como missionário (1Co 9.6)
Seu perfil e caráter:

1 - Era homem de bem, cheio do Espírito Santo e de fé (At 11.24)
2 - Um consolador, encorajador de pessoas (At 4.36)
3 - Desprendido de bens materiais (At 4.37)
4 - Líder eficaz porque sabia delegar ao buscar pessoas para se tornarem multiplicadoras (At 9.27; 11.25; 12.25).
5 - Se alegrava com a obra de Deus (At 11.23)
6 - Firme em suas posições (At 15.38,39).
7 - Colocava a obra acima de suas questões pessoais (At 15.39)
8 - Sabia sair e entrar em cena (At 13.42; 14.12; 15.12,25)

No que consiste o efeito Barnabé?Investir em pessoas, mesmo que elas, aparentemente, só sejam uma promessa para o futuro.

1 - Só conseguem investir em pessoas aqueles que vêem o melhor delas e enxergam um futuro grandioso da obra de Deus orientado pelo Espírito Santo (At 11.24)

- Barnabé era homem "de bem" e por isso era movido por boas motivações. Não tinha segundas intenções. As pessoas não eram meios para sua ascensão, mas a sua finalidade. Você não o vê isolado, sozinho, mas sempre relacionado a pessoas.

- Ele era um homem "de fé". A fé era seu dom, pois ele via a obra de Deus com visão de longo alcance como uma obra grandiosa, maior que ele mesmo e da qual não conseguia dar conta sozinho.

- Em Antioquia demonstrou isso. Quando chegou "viu a graça de Deus, e se alegrou" (At 11.23). Ele se alegrou com o trabalho que outros fizeram e entrou com o seu dom para solidificar aquela iniciativa. Há pessoas que só fazem se a iniciativa for delas.

- Ele era homem "cheio do Espírito Santo", sua marca como cristão. Era o Espírito que o conduzia, dirigia e sustentava. Sem orientação e plenitude do Espírito, podemos fazer a obra de Deus como chefes, como caciques e nunca como líderes.

2 - Só conseguem investir em pessoas aqueles que são desprendidos...

...de bens (At 4.37).

- Quando nos convertemos, as nossas escalas de valores também sofrem mudança. Tudo passa a ter significado espiritual e tudo passa a ser do Senhor (Rm 11.36).

- Ele abriu mão do conforto e viveu sob perigos por amor à obra de Deus (At 15.26).

... de vaidade.

- Barnabé era respeitado entre os Apóstolos e na Igreja em Jerusalém, como demonstra a sua atitude de levar Paulo aos apóstolos, em chamá-lo de Chipre para trabalhar em Antioquia e na defesa das idéias de Paulo contra os judaizantes em Jerusalém por ocasião da controvérsia.

- Outro momento que mostra Barnabé desprendido de vaidades é quando soube passar a liderança para Paulo logo após a conversão de Sérgio Paulo.

- Quando ele foi confundido com Zeus, ele mostrou maturidade e consciência de alguém completamente humilde.

... de preferências pessoais.

- Ele abriu mão de participar na segunda viagem missionária porque precisava investir em outra vida para restaurá-la: João Marcos (At 15.39).

- Não podemos investir só naqueles que nos darão menos trabalho ou que sempre estão pertos de nós. Devemos nos especializar em ver os que não são vistos, os que estão escondidos, pois eles podem ser verdadeiras pérolas.

- João Marcos foi restaurado e a respeito dele são feitas menções importantes mais tarde pelo apóstolo Paulo (Cl 4.10; Fm 24; 2Tm 4.11). Foi ele quem registrou as memórias de Pedro na forma do primeiro Evangelho a ser escrito no Novo Testamento (1Pe 5.13).

3. Só conseguem investir em pessoas aqueles que têm espírito multiplicador

- Muitos só conseguem somar para então diminuir e dividir. Começam com grupos grandes, mas daqui a pouco estão sozinhos. São centralizadores em vez de agregadores. São chefes em vez de líderes. São donos em vez de servos.

- Barnabé foi um apelido que lhe deram. Seu nome verdadeiro era José. O seu apelido se tornou o seu nome, pois era sua característica. Ele era um encorajador, um consolador At 4.36).

- Sua atitude de vender o que possuía e dar tudo para Deus não foi uma esmola meritória, mas foi um ato que consolou materialmente muitas pessoas e foi um investimento.

- Veja o resultado imediato:

A igreja tinha como ajudar as pessoas e os apóstolos puderam se dedicar exclusivamente à Palavra e à oração (At 6).

- Nossas ações na Igreja precisam ter efeito multiplicador. Tudo o que vamos fazer, precisamos compartilhar com outros e treinar outros para que façam o mesmo.

- Essa sua característica fez dele um líder que sabia delegar e por isso a obra podia se multiplicar. Paulo aprendeu dele (cf. 2Tm 2.1,2). O que Barnabé foi para Paulo, Paulo foi para Timóteo.

4. Só conseguem investir em pessoas aqueles que acreditam na possibilidade de mudanças nas pessoas

- Barnabé acreditou em Paulo quando todos não acreditavam (At 9.27).

- Barnabé se lembrou de Paulo quando todos tinham se esquecido dele (At 11.25).

- Barnabé acreditou em João Marcos (At 12.25) e, mesmo com a decepção que sofreu com ele, tornou a acreditar, dando-lhe uma segunda chance (At 15.39).

- Não podemos nos tornar no único exército que deixa os seus soldados feridos no campo de batalha. Eles precisam ser restaurados, receber uma segunda, terceira, quarta chance para servirem a Deus.

5. Só consegue investir em pessoas aqueles que se alegram com o progresso delas e não se sentem ameaçados

- Barnabé era um homem alegre porque o Espírito Santo produzia nele o seu fruto que é alegria (At 11.23).

- Ele não ficava alegre só porque era ator principal, mas também quando era apenas coadjuvante.

- Ele foi a Antioquia para ver o que estava acontecendo. Passou de mero espectador para participante ativo naquilo que viu: a graça de Deus se manifestando.

- É bom ver pessoas que influenciamos sendo abençoadas e prósperas. No Reino não há lugar para ciúmes e invejas. A glória, afinal, é o Senhor.

- Paulo parece ter aprendido essa lição com Barnabé quando disse que ele plantou, Apolo regou e quem deu o crescimento foi Deus (1Co 3.6).

- Com certeza Barnabé se orgulhava de ver quantas igrejas Paulo plantou em seu ministério e quantas pessoas mais se ajuntaram a Paulo nas viagens missionárias.

- Ele nem se entristeceu quando ficou sabendo que seu nome só aparece até a metade do livro de Atos e depois nem é mencionado mais.

- A obra de Deus é maior do que nós mesmos. É por isso que ela cresce.
- Barnabé sabia entrar e sair de cena (At 13.42; 14.12; 15.12,25).

- Ele liderou a Igreja de Antioquia e liderou boa parte da primeira viagem missionária. Quando ele viu que os dons de Paulo o habilitavam melhor para a liderança, não teve dúvidas e saiu de cena. Não abandonou, apenas reconheceu que em alguns aspectos, Paulo era melhor do que ele. Não ficou esquecido em um canto, continuou com sua contribuição importante.

- Em Listra, por exemplo, quando houve a cura de um aleijado, ele foi confundido com Zeus e Paulo com Hermes, deuses gregos. Zeus era o "deus rei" e Hermes era um deus relacionado com a palavra e a interpretação. Isso porque era Paulo que era mais eloqüente.

- Na crise judaizante, Barnabé voltou a ocupar a liderança, pois, embora Paulo fosse mais eloqüente, ele não era a pessoa mais indicada para falar em Jerusalém. Barnabé, então, entra em cena. Isso é sabedoria de um líder.

6 - Só consegue investir em pessoas aqueles que são firmes em suas convicções

- Barnabé conhecia o potencial e os limites da pessoas.

- Ele sabia do temperamento de Paulo, pois até se lembrava da carta que Paulo escreveu aos gálatas e como ele foi grosseiro e direto em suas palavras.

- Sabia da intransigência de Paulo, apesar de sua abnegação como apóstolo.

- Barnabé também sabia que João Marcos estava novamente pronto para a obra e não queria perdê-lo. Enfrentou Paulo por causa de Marcos e não se arrependeu At 15.37-39).

- Barnabé era firme sem ser intransigente. Era firme sem ser obtuso, fechado em suas idéias e estagnado na ação.

- Ele era aberto às mudanças e novas direções de Deus para sua vida e a vida daqueles em quem investia.

UM CONVITE PESSOAL A VOCÊ QUE QUER...

... investir em pessoas porque vê o melhor delas e enxerga um futuro grandioso da obra de Deus e além por meio dela

... investir em pessoas porque você é um desprendido

... investir em pessoas porque você tem espírito multiplicador

... investir em pessoas porque você acredita na possibilidade de mudanças nas pessoas

... investir em pessoas porque se alegra com o progresso delas e não se sente ameaçado

... investir em você mesmo porque quer servir sem barreiras

PARA...

... buscar capacitação

... servir nos ministérios da Igreja (Exemplo: ministério infantil que precisa de mais gente; multimídia, som, integração, discipulado, intercessão, etc.)

... colocar seus conhecimentos a serviço de Deus (Projeto Aparato)

... acreditar que Deus vai fazer uma grande obra por meio de sua vida


Pr. Jonas Celestino Ribeiro




Nenhum comentário:

Postar um comentário