quarta-feira, 30 de setembro de 2009


A CAVERNA DE ADULÃO


Samuel 22: 1-5. “Davi retirou-se dali e se refugiou na caverna de Adulão; quando ouviram isso seus irmãos e toda a casa de seu pai, desceram ali para Ter com ele. Ajuntaram-se a ele todos os homens que se achavam em aperto, e todo homem endividado, e todos os amargurados de espírito, e ele se fez chefe deles; e eram com ele uns quatrocentos homens. Dali passou Davi a Mispa de Moabe (atual Jordânia) e disse ao seu rei: Deixa estar meu pai e minha mãe convosco, até que eu saiba o que Deus há de fazer de mim. Trouxe-os perante o rei de Moabe, e com este moraram por todo o tempo que Davi esteve nesse lugar seguro. Porem o profeta Gade disse a Davi: Não fiques nesse lugar seguro; vai e entra na terra de Judá. Então, Davi saiu e foi para o bosque de herete.

* Adulão: Significa Justiça do povo, refugio, esconderijo; é um complexo de cavernas que fica no vale de Elá, e segundo os arqueólogos e exploradores, existem partes desse complexo de cavernas que ainda não foram exploradas, e certamente caberiam ali todo aquele exercito que se ajuntou a Davi.

* Mas poderíamos estar nos perguntando: O que Davi, um valente, o homem que derrotou o gigante Golias, o valente cantado pelas mulheres de Israel em suas musicas (Saul matou a mil e Davi aos Dez milhares), o que esse homem estava fazendo ali naquela caverna?

* A caverna de Adulão foi um lugar de tratamento na vida de Davi.

* Davi havia vivido um momento de glória, estava bem com o povo, e esse estar de bem com povo, por Ter caído nas graças do povo, por Ter sua unção reconhecida e valorizada pelo povo, Davi despertou ciúmes em Saul , despertou a inveja de Saul, que passou então a persegui-lo. Saul perseguiu a Davi porque ele sabia que o reino seria tirado dele, porque o profeta havia dito a ele que seu reino seria rasgado e tirado de suas mão, e ele então começou a perceber que ele era o rei, mas o ungido não era ele.

* Israel passou a viver uma situação interessante, o rei que estava no trono, tinha perdido a sua unção.

* O Ungido de Deus não estava no trono, Israel passou a viver uma situação de Ter um Ungido e um ex-ungido. Saul não aceitava essa situação, mas a unção de Deus havia sido tirada de sobre ele, aquele Saul que antes profetizava junto aos profetas e que a bíblia nos fala que o Senhor havia tirado uma porção do seu Espírito de sobre os 70 profetas e colocado sobre ele era coisa do passado.

* Queridos: a unção pode ser retirado de nós se não obedecermos à vontade do senhor, se não fizermos aquilo para o qual nos capacitou, se não nos dermos com amor e responsabilidade para o seu reino, a unção pode ser retirada de sobre nos.

* É isso mesmo que você esta ouvindo: A UNÇÃO SE PERDE. Foi o que aconteceu com Saul, ele perdeu a unção do Espírito de Deus em sua vida.

* O que é unção? Unção é uma capacitação especial que o Senhor nos dá para realizarmos a sua obra.

* Perde-se a unção e fica somente o azeite sobre os cabelos. Tem muita gente vivendo somente de sua força e do azeite que ainda pensa estar sobre sua cabeça, mas a unção de Deus se foi a muito tempo.

* Davi estava ali naquela caverna por causa da perseguição do ex-ungido Saul, e ali foi um lugar de tratamento de Deus na vida de Davi.

O QUE ADULÃO PODE SIGNIFICAR PARA NÓS?

1) Adulão é um lugar de significado profético: I Samuel 22:01 –“ Davi retirou-se dali e se refugiou na caverna de Adulão; quando ouviram isso seus irmãos e toda a casa de seu pai, desceram ali para Ter com ele.”

* A palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, nos conta que os irmãos de Davi não criam nele, não o valorizavam, tanto é que por ocasião da guerra com os filisteus, quando Golias desafiava ao povo de Israel, Davi chegando ao campo de batalha foi destratado por seus irmãos que o chamaram de michiriqueiro, curioso, intrometido, metido a besta, e agora estavam ali buscando refugio junto a Davi em Adulão.

* Davi aqui é como uma figura de Jesus, seus irmãos não criam nele, escarneciam dele no começo de seu ministério, conforme vemos em João 07:3-5 “Dirigiram-se pois, a ele os seus irmãos e lhe disseram: Deixa esse lugar e vai para a Judéia, para que também os seus discípulos vejam as obras que fazes. Porque ninguém há que procure ser conhecido em publico e, contudo, realize os seus feitos em oculto. Se fazes essas coisas, manifesta-te ao mundo. Pois nem mesmo seus irmão criam Nele.”

* A Palavra de Deus nos relata que depois de um tempo os irmãos de Jesus, os filhos de Maria, creram nele e buscaram nele refugio, tanto que Tiago, irmão de Jesus, se tornou Pastor da Igreja de Jerusalém e nos deixou como legado a epistola de Tiago. Os irmãos de Jesus são os filhos de Israel, e isso é profético, pois Israel nos tempos da tribulação buscara refugio no Senhor.

2) Adulão é lugar de sair da superficialidade e buscar profundidade insondável.

* Na caverna de Adulão, existem lugares profundos ainda não sondados, lugares onde não se conseguia medir a profundidade. Mas Davi conhecia em profundidade ao Senhor, ele conhecia o Bom Pastor (Salmo 23) aquele que o havia livrado do Urso e do Leão, aquele que havia entregue o gigante e todos os filisteus em suas mãos.

* Davi conhecia aos Senhor, e seu conhecimento não era superficial. Precisamos entrar em Adulão para conhecermos ao Senhor com intimidade.

3) Adulão é lugar de transformar a humilhação em honra.

Quem foram os homens que procuraram a Davi: (Vers.02) “Ajuntaram-se a ele todos os homens que se achavam em aperto, e todo homem endividado, e todos os amargurados de espirito, e ele se fez chefe deles; e eram com ele uns quatrocentos homens.”

* Ali estava um Rei ungido, refugiado numa caverna, e só veio ao seu encontro, só veio estar com ele aqueles que realmente precisavam dele.

* Os filhos de Coré ouviram muitas vezes, conforme nos relatam no salmo 42: “1 Como o cervo anseia pelas correntes das águas, assim a minha alma anseia por ti, ó Deus!2 A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e verei a face de Deus?3 As minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia e de noite, porquanto se me diz constantemente: Onde está o teu Deus?4 Dentro de mim derramo a minha alma ao lembrar-me de como eu ia com a multidão, guiando-a em procissão à casa de Deus, com brados de júbilo e louvor, uma multidão que festejava.5 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação que há na sua presença.6 Ó Deus meu, dentro de mim a minha alma está abatida; porquanto me lembrarei de ti desde a terra do Jordão, e desde o Hermom, desde o monte Mizar.7 Um abismo chama outro abismo ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e vagas têm passado sobre mim.8 Contudo, de dia o Senhor ordena a sua bondade, e de noite a sua canção está comigo, uma oração ao Deus da minha vida.9 A Deus, a minha rocha, digo: Por que te esqueceste de mim? por que ando em pranto por causa da opressão do inimigo?10 Como com ferida mortal nos meus ossos me afrontam os meus adversários, dizendo-me continuamente: Onde está o teu Deus?11 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele que é o meu socorro, e o meu Deus.”

* Hoje você pode estar na mesma situação de Davi, quando as pessoas que o rodeiam te perguntam: “Onde está o teu Deus?”

* O Senhor livrou Davi das mãos de Saul e muitos daqueles endividados, daqueles apertados, amargurados de espírito se tornaram em heróis em Israel, porque o Nosso Deus é um Deus que exalta ao humilde e abate ao soberbo.

* Adulão é o lugar que aceita os perseguidos e injustiçados e os redime, os transforma, e os torna gente.

4) Adulão é lugar de troca de liderança e governo.

* Aqueles 400 homens, antes serviam a Saul, mas não encontraram nele unção, não encontraram nele refrigério, não encontraram nele um sacerdote que os apascentasse diante do Pai, foram rejeitados por todos, mas encontraram refrigério e abrigo em Adulão. Davi recebeu a todos.

* O senhor Jesus, assim como Davi em Adulão diz para você nessa noite: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. Eu vos receberei.

* Aqueles homens que antes serviam a Saul, agora serviam a Davi, Trocaram o governo de suas Vidas.

* Hoje também, é o tempo de você mudar o Governo e a orientação de sua vida.

* A religião não salva e nem justifica ninguém, mas Jesus sim. Ele, Jesus é a nossa Adulão, Ele é o nosso refugio seguro, Ele é a rocha de nossa salvação. Refugia Nele agora.

* Você esta amargurado, apertado, perseguido, endividado, doente etc. Jesus é a nossa caverna de Adulão, Corramos para Ele agora. Que Ele nos Abençoe.




Prs. Abílio Rodrigues & Sandra Elyane

++++++++++++++


terça-feira, 29 de setembro de 2009


O SERVIÇO DO SENHOR


O presente estudo baseia-se na língua original do Novo Testamento, o grego “koinê”.

1 - TERMOS

Há três palavras que, sobre este assunto, constituem como que uma família:

1.1 - DIÁCONOS

- Substantivo que foi transliterado para o português na forma de diácono e que se traduz por servo (ajudante, servente, aquele que ministra ou distribui, auxiliar, assistente, adjunto).

Nota:

Há no grego do Novo Testamento, duas outras palavras por vezes traduzidas por servo:

DULOS - escravo, e UPERÉTES - subordinado, subalterno.

1.2 - DIACONIA

- Substantivo que pode ser também transliterado como diaconia e que indica a função do diácono, traduzindo-se por serviço.

Nota:

Com a mesma idéia se usa a palavra diaconato, que entrou para a nossa língua através do latim. É mais aplicada à função eclesiástica oficial do diácono.

1.3 - DIACONÉOU

- Verbo que se traduz por servir, ou exercer a função de diácono ou servo.

2 - APLICAÇÃO DOS TERMOS NO NOVO TESTAMENTO

2.1 Uso corrente, aplicado a servos, criados ou serviços domésticos:

2.1.1 Serviçal: Mateus 20:26 Mateus 22:13 Mateus 23:11 Marcos 9:35 Marcos 10:43 Lucas 17:18 João 2:5/9

2.1.2 Serviços domésticos: Lucas 10:40 João 12:2

2.2 Aplicação aos anjos: Mateus 4:11 Marcos 1:13 Hebreus 1:14 2.3

Aplicação a Satanás: II Coríntios 11:15

2.4 Aplicação às potestades terrenas:

Romanos 13:4

2.5 Aplicação a Cristo:

Mateus 20:28 Marcos 10:45 Lucas 12:37 Lucas 22:27

2.6 Aplicação aos crentes em geral:

2.6.1 A sogra de Pedro: Mateus 8:15 Marcos 1:31 Lucas 4:39

2.6.2 As mulheres que seguiam a Jesus: Marcos 15:41 Lucas 8:3

2.6.3 Os discípulos de Cristo: Mateus 25:44 João 12:26

2.7 Aplicação:
A obreiros específicos (apóstolos, missionários, pregadores, pastores etc.), ministros da Palavra.

2.7.1 Apóstolos: Atos 1:17 Atos 1:25 Atos 6:4

2.7.2 Missionários: Atos 11:29/30 Atos 12:25 Atos 21:19 Romanos 11:13 Romanos 15:31 II Coríntios 11:8 Efésios 3:7 Colossenses 1:23/25 I Timóteo 1:12

2.7.3 Outros: Romanos 16:1 (Febe), I Coríntios 3:5 (Apolo), I Coríntios 16:15 (família de Estéfanes) Efésios 6:21 Colossenses 1:7 (Epafras), Colossenses 4:7 (Tíquico), Colossenses 4:17 (Arquipo) I Tessalonicenses 3:2 II Timóteo 1:18 (Onesíforo), II Timóteo 4:5 (Timóteo), II Timóteo 4:11 (Marcos) Filemon 1:13 (Onésimo)

2.8 Aplicação em sentido especial: 2.8.1 Um dos oficiais da Igreja: Filipenses 1:1 I Timóteo 3:8/13 2.8.2 Diaconato como um dos dons de Deus: Romanos 12:7 2.8.3 Escolha e ofício determinado pela necessidade: Atos 6:1/3 (Para beneficência neste caso)

2.8.4 Paulo tinha os seus diáconos, coadjutores: Atos 19:22 (Timóteo e Erasto)

3 - DESEMPENHO DO DIACONATO

3.1 Há diversidade de serviços, tarefas ou diaconias: I Coríntios 12:5

3.2 Certos obreiros, chamados e dedicados à Obra (pastores e missionários) são sustentados materialmente pelas igrejas: I Coríntios 9:13/14 II Coríntios 11:8

3.3 Participamos num glorioso ministério, o da reconciliação dos homens com Deus: II Coríntios 5:18 (O maior serviço a Deus e ao próximo)

3.4 Há ênfase bíblica ao “serviço a favor dos santos”, ou seja, o ministério da beneficência, uma importante diaconia que determinou a eleição dos sete em Jerusalém: Romanos 15:25 II Coríntios 8:4 II Coríntios 8:19 II Coríntios 9:1 II Coríntios 9:12/13 Hebreus 6:10

3.5 O serviço cristão, qualquer que ele seja, deve ser desempenhado com zelo e senso de responsabilidade: II Coríntios 6:3

3.6 O verdadeiro diácono, ou servo do Senhor, serve-O com humildade, em submissa dependência de Deus: I Pedro 4:10/11
4 - CONCLUSÃO

4.1 Todos somos, num sentido geral, diáconos, isto é servos de Jesus Cristo e servos uns dos outros. Todos temos um lugar de serviço na Obra do Senhor, ainda que não nos seja atribuído pela igreja um determinado cargo.

4.2 Há serviços especiais, para os quais alguns são chamados, na Seara do Senhor: apóstolos, missionários, pastores, evangelistas, etc...

4.3 Há um sentido específico de diaconato na igreja, em conexão com os bispos ou pastores no desempenho das responsabilidades que lhes forem atribuídas.

4.4 Na Igreja de Cristo só há um Senhor, que é Cristo. Todos nós somos servos, Seus servos. Todo o trabalho do Senhor deve ser cumprido no espírito de serviço a Cristo, com zelo, brio, fidelidade e humildade.


AUTOR: Orlando Caetano


segunda-feira, 28 de setembro de 2009


JACÓ, UM HOMEM
A QUEM DEUS
NÃO DESISTE DE AMAR

Gênesis 32.22-32; Oséias 12.3-4



INTRODUÇÃO

Deus não abre mão de você. O seu amor por você é determinado, incansável, vencedor. Não depende de quem você é nem de como você se comporta. O amor de Deus por você é eterno. A causa do amor de Deus por você, não está em você, mas nele mesmo.

• A vida de Jacó nos ilustra essa verdade de forma gloriosa.

Vejamos:

I. DEUS AMA A JACÓ, A DESPEITO DE JACÓ

1. Deus amou e escolheu Jacó antes dele nascer – Gn 25:23; Ml 1:2

• O amor de Deus por você não é causado por fatores externos. Deus o amou e o escolheu soberanamente, livremente, independente dos seus méritos. Deus disse para Rebeca: “O mais velho servirá o mais moço” (Gn 25:23).

• Deus disse que o seu amor por Jacó foi um amor incondicional: “Eu vos tenho amado, diz o Senhor; mas vós dizeis: Em que nos tem amado? Não foi Esaú irmão de Jacó? Disse o Senhor; todavia amei a Jacó, porém aborreci a Esaú” (Ml 1:2).

Deus nos escolheu em Cristo não por causa das nossas obras, mas para as boas obras; não porque éramos obedientes, mas para a obediência.

Deus nos escolheu quando éramos pecadores, quando estávamos mortos. Ele colocou o seu coração em nós, antes mesmo da fundação do mundo, antes dos tempos eternos.

2. Deus amou a Jacó a despeito de seus pecados – Gn 25:23

Jacó recebeu um nome que foi o espelho da sua personalidade: enganador, suplantador.

Ele nasceu segurando no calcanhar do seu irmão.

Ele aproveitou um momento de fraqueza do seu irmão, para arrancar-lhe o direito de primogenitura.

Ele aproveitou um momento de cegueira do seu pai, para mentir para ele e se passar como se fosse Esaú.

Ele mentiu em nome de Deus e roubou a bênção que Isaque intentava dar a Esaú. Jacó tinha um comportamento reprovável.

Ele enganou, mentiu, traiu. Mas a despeito de quem era, Deus o amou e continuou investindo na sua vida.

Assim é o amor de Deus por nós. Ele nos ama apesar de nós. Temos pecado contra ele, mas ele continua nos amando e investindo em nós.

3. Deus revelou-se a Jacó a despeito da sua crise – Gn 28:10-17

Jacó estava em crise. Ele mentira para o pai em nome de Deus. Tomara os destinos da sua vida em suas próprias mãos, duvidando do propósito do Senhor. Enganara o seu irmão Esaú. Agora, para salvar sua vida, precisa fugir.

• Deus toma a iniciativa e revela-se a ele em Betel. Deus era o Deus de Abraão e Isaque, mas ainda não o Deus de Jacó.

Deus faz promessas a Jacó a despeito de Jacó ainda não conhecer a Deus pessoalmente. Deus promete estar com ele, guardá-lo, ampará-lo. Jacó tem uma experiência profunda em Betel, Casa de Deus, mas ainda não com Deus.

Talvez você já tenha tido grandes experiências do poder de Deus. Talvez você já teve experiências tremendas na casa de Deus. Talvez você já ouviu sobre as promessas de Deus. Mas você ainda não teve um encontro transformador com o Senhor.

4. Deus abençoou Jacó a despeito de Jacó ainda não ser salvo – Gn 28:10-17

Deus abençoou Jacó dando-lhe companhia, proteção e prosperidade. Deus fez de Jacó um homem próspero: dando-lhe uma grande família e muitos bens. Deus estava cercando a vida de Jacó com bênçãos especiais. Mas Jacó ainda não estava salvo.

Da mesma forma, Deus tem nos abençoado. Ele tem nos guardado. Ele tem nos dado o pão de cada dia. Ele tem nos dado a família. Deus tem lhe dado saúde, família, bens. Mas você já está salvo? Você já teve um encontro profundo com Deus?

II. DEUS CONFRONTA JACÓ NA HORA DA SUA MAIOR ANGÚSTIA

1. Jacó mentiu para o pai, enganou o irmão, mas não conseguiu apagar as chamas de sua própria consciência culpada – Gn 32:10-11

Os anos não conseguiram apagar o drama existencial vivido por Jacó. A sua crise com Esaú ainda estava acesa no coração. Agora ele está de volta. Agora precisa encontrar-se com Esaú. O medo lhe vem ao coração. A culpa o assola.

Ele que viveu a vida fugindo, precisa agora enfrentar a situação. Ele não pode fugir de si mesmo e por isso fica só.

Ele tem que olhar no espelho da sua própria alma e contemplar de fato quem ele é: um suplantador.

2. Deus começa a lutar com Jacó – Gn 32:24

Deus quer transformar Jacó. Deus não abre mão da vida de Jacó. Deus toma a iniciativa. Ele começa a luta. O encontro de Jacó com Deus não pode ser mais adiado. Ter as bênçãos de Deus não é suficiente.

Jacó precisava ter uma experiência pessoal e profunda com o próprio Deus. Mas é Deus quem toma a iniciativa.

Deus não desiste de você. Hoje você precisa atravessar o seu Jaboque. Deus está no seu encalço.

Ele não abre mão da sua vida.

Ele ama você.

Ele tem investido em você.

Ele tem abençoado a sua vida. Mas, agora ele quer o seu coração.

Se preciso for, ele vai lutar com você, para conquistar o seu coração, porque ele não pode abrir mão do direito de ter você.

3. Deus não desiste de Jacó, a despeito da resistência de Jacó – Gn 32:24b-25

Jacó lutou a noite toda.

Ele não queria ceder.

Ele não queria entregar os pontos.

Ele mediu força com força, poder com poder, destreza com destreza. Jacó era um caso difícil. Um coração duro, um homem difícil de se converter. Mas, Deus não abandonou Jacó por isso. O mesmo Deus que vinha abençoando Jacó a vida toda, agora luta com ele a noite toda.

Deus tem lutado com você também.

Deus tem colocado intercessores no seu caminho. Ele tem colocado pregadores diante de você. Você tem escutado muitas vezes a voz de Deus. Não endureça o seu coração.

4. Deus feriu Jacó, a fim de não perder Jacó para sempre – Gn 32:25

Deus deixou Jacó aleijado para que Jacó não fosse condenado por toda a eternidade.

Deus foi às últimas consequências para salvar Jacó.

Deus empregou um método radical. Quem não vem por amor, vem pela dor. A vocação de Deus é irresistível.

Deus empregará todos os meios para salvar você. Se preciso for, ele tocará em seu corpo, em seus bens, para que você se quebrante, para que você se humilhe.

A voz de Deus é tremenda. Ela despede chamas de fogo. Ela faz tremer o deserto. Ela despedaça os cedros do Líbano, ela quebra as nossas resistências.

Deus às vezes, usa uma enfermidade, um acidente, uma perda significativa.

Deus, porém, jamais desiste de salvar aqueles a quem ele escolheu desde a eternidade.

III. DEUS SALVA JACÓ NA HORA QUE ELE CONHECE SUA DEPENDÊNCIA DE DEUS

1. Jacó reconhecido da sua necessidade de Deus, não abre mão de ser abençoado por Deus – Gn 32:26

Jacó se agarra a Deus e diz: “eu não te deixarei ir se tu não me abençoares”. Ele tem dinheiro, tem família, tem o direito de primogenitura, mas agora ele quer Deus. Sua maior necessidade é de Deus.

Jacó sem Deus é nada.

Jacó sem a bênção de Deus é vazio.

Jacó agora tem pressa para ser transformado por Deus.

Ele ora com intensidade.

Ele ora com senso de urgência.

Ele não pode perder a oportunidade.

Ele anseia por Deus mais do que por qualquer outra coisa na vida.

2. Jacó chora diante de Deus buscando uma transformação da sua vida – Os 12:4

Jacó agora tem o coração quebrantado. Ele agarra-se a Deus com senso de urgência e com os olhos molhados de lágrimas. Jacó se quebranta, se humilha, chora e reconhece que não pode mais viver sem um encontro profundo e transformador com Deus.

Como Pedro, Jacó chora, o choro do seu arrependimento.

Ele instou com Deus em lágrimas.

Ele pediu a bênção de Deus com pranto. Seus olhos estão molhados e sua alma ajoelha diante do Senhor.

E por que Jacó chora?

O que ele pede com tanta urgência e com tanta sofreguidão? Ele não pede coisas.

Ele pede que Deus mude a sua própria vida.

Ele quer Deus e quer vida nova!

3. Jacó confessa o seu pecado e toca no ponto nevrálgico da sua vida – Gn 32:27

Quando Deus lhe perguntou: “Qual é o teu nome?” Ele respondeu: “Jacó”. Aquela não foi uma resposta, mas uma confissão.

Jacó não podia ser transformado sem antes reconhecer quem era.

Ele não podia ser convertido sem antes sentir convicção de pecado.

Ele não podia ser uma nova criatura sem antes reconhecer que ele era um enganador, um suplantador.

A história de Jacó era uma história crivada de engano, mentira. Ele tinha nome de crente, mas ainda não era salvo.

Jacó era um patriarca.

Ele conhecia a aliança de Deus.

Ele tinha as promessas de Deus, mas Jacó não vivia como um filho de Deus. O engano era a marca da sua vida.

Seu nome era um espelho da sua vida.

Seu nome era aquilo que ele era e vivia. Mas, agora, ele abre o coração. Ele admite o seu pecado.

Ele toca no ponto de tensão, no nervo exposto da sua alma.

Qual é o seu nome?

Quem é você?

É hora de você depor as armas.

É hora de você deixar de resistir o amor de Deus.

É hora de você confessar não apenas o que você faz, mas quem você é, a fim de que você também seja salvo!

4. Jacó prevalece com Deus, vê a Deus face a face e sua vida é salva – Gn 32:30

Até este tremendo encontro, Deus era apenas o Deus de seu avô Abraão e seu pai Isaque, mas agora Deus passa ser conhecido como o Deus de Jacó.

Jacó tem os olhos da sua alma abertos. Ele vê a Deus face a face. Jacó tem seus pecados perdoados, sua alma liberta, seu coração transformado, sua vida salva. Tudo se fez novo na vida de Jacó.

Hoje, você também pode ver a Deus face a face. Esta igreja pode ser hoje a sua Peniel.

Hoje esse culto pode ser o seu vau de Jaboque. Deus está aqui. Ele é poderoso para mudar sua vida, para transformar o seu coração e lhe dar a vida eterna.

5. Jacó depois de salvo tem um novo futuro: luz e reconciliação – Gn 32:31; 33:4

Depois de ter vivido uma vida inteira de trevas, o sol nasceu para Jacó. A luz brilhou no caminho de Jacó. As trevas ficaram para trás. Tudo se fez novo na vida dele: um novo coração, uma nova mente, uma nova vida. Ele saiu manquejando, mas sua alma esta livre! Esaú deve ter lhe perguntado: Por que você está manquejando Jacó: Ah! Meu irmão, Deus me salvou. Hoje eu sou um novo homem, tenho uma nova vida! Aquele velho Jacó morreu e foi sepultado na vau de Jaboque. Agora sou uma nova criatura. O sol nasceu para mim!

Deus transformou o ódio de Esaú em amor; o medo de Jacó em alegria. E aquele encontro temido, que acenava uma briga, uma contenda, uma guerra, transformou-se numa cena de choro, abraços, beijos e reconciliação. Deus transforma a nossa vida completamente. Ele nos reconcilia com os nossos inimigos. Ele alivia o nosso coração da culpa e do medo!

CONCLUSÃO

• Estamos atravessando o vau de Jaboque. Um novo ano está chegando. Como vamos atrevessar as fronteiras deste novo ano? Fugindo? Resistindo o amor de Deus? Ou vamos atravessá-lo agarrados com Deus, pedindo a ele, em lágrimas que transforme a nossa vida?

• Deus não desiste de amar você. Ele está no seu encalço. É melhor que você não demore, pois pode ser que você ainda fique manco!



AUTOR: Rev. Hernandes Dias Lopes


+++++++++++++++


domingo, 27 de setembro de 2009

MISSÕES, A URGÊNCIA
DE UMA TAREFA

JOÃO 4.31-38



I. JESUS MOSTRA O SEU COMPROMISSO - v. 31-34

a) Comida é todo dia

b) Comida é coisa básica

c) Assim é a vontade do Pai = Fazer discípulos de todas as nações.

II. JESUS FALA DE SUA VISÃO - v. 35

a) Ainda não está na hora - Ainda falta 4 meses

b) Jesus diz: Está passando da hora = a igreja está com os olhos para baixo - Quando levanta os olhos você começa a ver como Deus vê. Não para servir aqui, mas a partir daqui.

c) Por que você é salvo hoje? Porque missionários vieram até nós.

III. JESUS FALA DA URGÊNCIA DA TAREFA - V. 35

a) Existem 123 tribos na Amazônia não alcançados dos 223 tribos.

b) A distribuição do pão nas mesmas fileiras

c) Há dois tipos de pessoas no mundo: Evangelizados e não evangelizados ou seja, onde o Evangelho está disponível e onde não está disponível.

IV. A RECOMPENSA - V. 36

V. A COOPERAÇÃO - v. 37,38

Nossas diferenças doutrinárias não podem nos dividir.




AUTOR: Rev. Hernandes Dias Lopes.


==================